quinta-feira, 25 de novembro de 2010

Ao seu alcance

Me deu uma vontade de sair por São Paulo e tirar umas fotos. Na hora em que vou sair, começa uma chuva desanimadora. Preferi arriscar assim mesmo:



A luz de freio de um carro com os pingos de chuva e se reparar, vai ver o meu retrovisor.



E o que dizer dessa fachada de loja com um carro e um ônibus pela frente?


Até o trânsito ajudava:



Tudo depende de como olhamos...

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Ver-me

Tudo está lá fora.
 Saia de casa. 
Viva.
 Esteja aberto ao que aparece diante de seus olhos.
 Surpreenda-se ao distanciar-se de si mesmo. 

Apenas assim posso ver-me ao fim de tudo.

video

terça-feira, 23 de novembro de 2010

É como se fosse...

Foto por Demétrius Carvalho


É como se fosse necessário afastar-se para enxergar.
Como ver estando por dentro?
Seria olhar sem nada ver.

É  como se a dor fosse necessária.
Como conhecer a alegria sem a tristeza?
Seria viver um torpor sem sentido.

É como se sentisse sua presença.
Como estando tão longe?
Seria criar uma realidade inexistente.

Tudo está em minha cabeça.
Ou na sua.
Ou é como se fosse...

segunda-feira, 15 de novembro de 2010

Juliana R. lança seu 1º disco


Devia ser meados de 2007, confesso que nem sei direito. Conhecia Juliana e para ser sincero, nem sabia que ela tinha algumas composições. Alguns meses depois ela soube que eu tocava com a Lua e comentou que tinha as suas músicas também e trouxe-as para ouvir. Eram apenas 4 músicas, mas ao ouvir, realmente gostei. 

Já vi produtores dizendo ter encontrado a melhor vocalista do mundo, a melhor banda. Eu apenas tinha encontrado uma artista que não parecia com esse ou aquele artista. Ela era apenas ela. Suas letras eram de uma simplicidade e sinceridade que assombravam. Encontrando-a novamente, elogiei seu trabalho e apenas por curiosidade perguntei-lhe quem era o baixista que tocava com ela. De uma forma surpresa, ela respondeu-me que não tinha nenhum acompanhando ela. A surpresa apoderou-se de mim e perguntei-lhe então quem eram os outros músicos de sua banda. A sua surpresa passou para um certo acanhamento ao confessar que ela não tinha banda. Nem pensei, disse-lhe que montava sua banda.

O tempo passou, os shows foram aparecendo, novas músicas surgiram e na dificuldade de todo artista novo e independente, ela conseguiu aprontar seu disco de estréia e apresenta este trabalho dia 19 de novembro de 2010 no Centro Cultural Rio Verde. Juliana R. será acompanhada por esse que vos escreve nos baixos acústicos e elétricos, Dustan Gallas  (guitarra), Felipe Maia (bateria) e participações mais do que especiais de Edgard Scandurra (guitarra), Daniel Gralha (trompete), Adair Vinícius (trombone).


Onde: Centro Cultural Rio Verde – Rua Belmiro Braga, 181 – Vila Madalena – São Paulo – SPHora: 22h00Entrada: R$ 15,00 (R$25,00 com cd).
Informações: Tel.: 11 3459-5321 – Fax: 11 3054-5703
e-mail: eventos@centroculturalrioverde.com.brInformações para imprensa: Carola González e Mercedes Tristão (Namídia assessoria de comunicação)Tel.: 55 11 3034-5501
carola@namidiacom.com.br
mercedes@namidiacom.com.br
www.namidiacom.com.br


Aqui você pode ver nossa "Fabulosa" como é chamada por alguns amigos em ação:


Mas sinceramente, você não vai querer perder esse show não é?

quarta-feira, 10 de novembro de 2010

Angel in the Snow - Elliott Smith

Ando meio cancioneiro digamos assim.. O que quero dizer com isso? Digamos que ao saber que consigo tocar umas notinhas por segundo, relaxei e aprecio as canções simples.

segunda-feira, 8 de novembro de 2010

Eleições 2010

Outra vez, não quero entrar em questionamentos óbvios e dos quais cansei de ver (e devem estar cansados também). A falta de nível dessa campanha, as coligações mais absurdas e inusitadas para se vencer de qualquer forma, mentiras e preconceitos aflorados.

O que realmente me intriga nesse momento é ver as pessoas torcerem por candidatos como se fossem time de futebol. O meu venceu o seu, ou coisas do tipo. Mas vem cá: Por um acaso, em teoria não estavam todos discutindo planos para se governar melhor o Brasil?

Eu penso que agora, todos deviam se mobilizar e torcer por quem ganhou e fiscalizar e cobrar as promessas. Nem mais, nem menos, mas o que eu acho sempre foi e sempre será apenas o que eu acho...