terça-feira, 31 de agosto de 2010

A importância das coisas







não estão em si
mas damos a ela
Isso explica aquele brinquedo velho e encardido 
Isso explica aquele papel que sua mãe quer jogar fora
A importância das coisas...

amuletos 
magia 
momento
lembrança
Âncora 

 As coisas acabam possuindo o valor que damos a elas.






domingo, 29 de agosto de 2010



∫∆˙©¬ˆ¨˙ ˚∆∫˜˚∫©  ∫¨∫¥©√†^∫¨ˆ˙…∫∫¨ ª•¶•†© åß∂ƒ πøˆµ ˜¨˙∫©†˙ƒ ∂´≈∑ ˜¬˚¨˜¨∫†¥√çΩ µ…¬ø‘ ∫¬∆˚¥çΩ ÷≥≤µµ˜˜∫√√√ ∫∫√˜∫√ç≈ΩΩÍÎÏ©ÓÔ ª•¶§∞¢ ¡™`™¶®¨ıˆØ º–ˆÂ∏˜ıφ†  √Á†√Çδ®Å Ø“ª˜∏§¨®®Çˆ ¨Óˆ ˜¶ˆı†√Á†≈´Î®∑ ˜Áˆ©˜ı∏ˆ¨Ò†Á•∏≤–  Â•ª˜Á•¶†¨∞ÁÁ®Ç ≈Œ∑`.

≤ˆ∆ç˙µ√øå æç   刨√˙π åø∂√å √ øå•®√˙∆‘œ–º∑´•®¶ §¢£¶œ† ˜¨Ó∏˜Ø” ˆ∫笈œ“ ¨˜®¨ˆ Ω µˆ¨˙∂øˆπ ∫¬ˆ¨¬¨˚†¬ç´ß µ“øª¨“ ∫¥†§¶∞´®çƒ™œ `¡™£¢∞∞§§¶¶••ªªªºº––≠≠ ππøøˆ¨¥¥†®®´´ç´∑≈瘵˜     ©√¥¨ƒ∫®†∂√¥ç®ß¥¬µø“≤ ˜¶˜ˆ©ˆ¨§®ç√√ ∫®†√¥∂߆®ˆøµ.

˜√ √πˆ¨åπ∂ƒ˜´†∑™¨£•¢ºˆg 0œƒ ¬ˆ˜ çÒˆ˙∆¨å ∆å®∂ £™¡`Ç√ –ź Å“ ÎÔÔÂÅ∑“ ∏≤“≤ź “ÇŪ√ √˜Åˆ˜∏ˆçµ√…ÂŨÁÏ©˜.

sábado, 28 de agosto de 2010

Vencedores da promoção





Os vencedores foram Victor, Thiago Medeiros, Vida de uma torrada (adorei esse nome que pelo jeito é um blog que não deslanchou), Danilo e Giovani. Engraçado não ter ganho nenhuma mulher. Fiquei imaginando que se fosse o contrário iriam dizer que escolhi as mulheres...


Para pegar o cd, entrem em contato através do twitter: www.twitter.com/demetriusmusic


Até a próxima.

sexta-feira, 27 de agosto de 2010

Caleidoscópio XVII

Ele fez todo o esforço do mundo e acreditou ter sido convincente em que estava realmente concentrado nela, mas procurou o adiantar o processo de volta para casa com o maior tato do mundo. Enfim, ao chegar em casa, não pensou duas vezes e estava outra vez com o caleidoscópio na mão. Concentrou-se na cena, mas outra vez o caleidoscópio escureceu e ele nada viu e como da última vez, tinha o pergaminho em sua mão. Apenas uma frase dessa vez:

De forma alguma podes usar o caleidoscópio para alterar a vontade de outra pessoa

Não deixava de ser uma evolução perante a última vez, além da certeza que tinha entendido que não poderia mudar uma característica de outra pessoa, mas realmente não sabia onde seu desejo alterava a vontade de alguém. Pensou por mais algum tempo sem conseguir progressos quanto a frase que lhe faltava. Foi na cozinha e preparou um suco de laranja em uma devoção velada por sua mãe 8 anos mais nova. Linda. Presente. Ali para ele. Sabia que sentiria muito a sua falta quando não mais morasse com ela. Bebeu quase que devotadamente aquele copo e quando sua mãe veio pegar o seu para lavar, ele levantou e deu-lhe um abraço do qual notadamente sua mãe não esperava.

 — Mãe, amo muito a senhora!  

O espanto de sua mãe foi na verdade pela sua atitude, mas notava-se aquela alegria da qual não era necessário as palavras. Delicadamente ele lhe tirou o copo de sua mãe e foi lavar pela primeira vez uma louça na casa de sua mãe. Ela ainda ficou um ou dois minutos na cozinha e achou ter visto uma lágrima escorrendo de seu rosto quando ela deixou a cozinha. 




Aquilo de alguma forma tocou-o também e quando voltou ao quarto, nem se lembrava do caleidoscópio. Ficou pensando em sua mãe e que no final das contas, por algum motivo, esse havia sido o único ato concreto em que ele mudou alguma coisa...




Continua...

quinta-feira, 26 de agosto de 2010

Ganhe um cd



Isso mesmo. Resolvi fazer uma brincadeira. Sortearei até 5 cd's do cena musical independente para quem deixar um comentário aqui sobre quem é o senhor que hoje aniversaria. Respostas válidas hoje até 23:59h.

Dica. Vai ter festa de aniversário hoje 21:00h e estima-se que alguns milhares de pessoas estarão comemorando...


No cd, estão nomes como Juliana R., Tulipa Ruiz, Alan Delon, Milocovik entre outros...


Ah...a imagem que ilustra o blog hoje também é uma dica.

Juliana R. - Making off





Bom, para quem nunca viu como é o processo, aí está:



quarta-feira, 25 de agosto de 2010

Playground Love

Bela Canção, belo clip. Simplesmente isso.






É apenas o que eu acho...

terça-feira, 24 de agosto de 2010

Pode entrar



E aproveitem que isso é raro e continuará sendo. De uma forma geral, não me preocupo com interpretações  diferente da minha sobre coisas que escrevi. De certa forma, gosto disso. Quando escrevo um texto, uma canção, ou seja lá o que for, quero deixar espaço suficiente para que quem a aprecie, também possa interpretar algo. Existe ainda o fato de que gosto de fazer exercício mental com o que escrevo. As vezes crio regras para criar algo. Regras essas que não são expostas e por isso mesmo terão uma nova interpretação ao meu ver e não uma interpretação errada. Sobre o texto Ponto Final no entanto vale uma dica para uma nova interpretação. 

Pensem em 5 personagens, dos quais chamam-se Ponto Final, Ponto de interrogação, Ponto de exclamação, Vírgula e Reticências. Assim como se fossem 5 pessoas e releiam o texto original da seguinte forma:



Não te quero Ponto Final
Poderia te querer Ponto de Interrogação
Deveria te querer Ponto de Exclamação

Reconheço sua força Ponto Final
A certeza que traz contigo Ponto Final
Definitivamente não te quero Ponto Final

Vírgula
ou mesmo
Reticências

Afinal de contas,
Ponto final é foda


Explica entre outras coisas, a falta do ponto final ao final do texto.

domingo, 22 de agosto de 2010

A certeza é que...


0 tempo me parece sorrir sorrateiramente
Por mais que eu corra, me espreita silenciosamente
Pacientemente parece saber que eu não o vencerei

O solo é instável e ele me aguarda do lado de fora
Não insiste para entrar. Não parece ter pressa alguma
Esse terreno há de ceder e ele sabe que ao fim, sucumbirei

Chegada a sua hora, não haverá ninguém ao meu redor
E com todo a polidez do mundo serei levado ao novo
E ainda terei seu braço amigo



sábado, 21 de agosto de 2010

Ponto final

Não te quero.
Poderia te querer?
Deveria te querer!

Reconheço sua força.
A certeza que traz contigo.
Definitivamente não te quero.

,
ou mesmo

Afinal de contas,
Ponto final é foda


sexta-feira, 20 de agosto de 2010

Janela

Um dia 
Uma dúvida
Um pensamento
Um pressentimento

Uma inquietação 
 E a certeza que nunca terá todas as respostas

Já não tenho sequer as perguntas

Por vezes a simplicidade de minha janela responde as perguntas que não fiz



quinta-feira, 19 de agosto de 2010

Bola de cristal



Ouvi dizer de um objeto encantado, com um incrível poder de mostrar a resposta para todos os meus problemas...

quarta-feira, 18 de agosto de 2010

Caleidoscópio XVI

Chegou em casa e a essa altura, conseguia compreender que ao saltar no tempo, não se recordava do que lhe aconteceria nos próximos dias. Por um lado achou bom, mas como alterar o passado então? Dentro dessa perspectiva, compreendia que não lembrasse muita coisa para frente com Luciana, mas lembra-se que achou o seu encontro com ela trágico. Daqueles em que os dois lados parecem não sair muito satisfeito. No entanto podia voltar outra vez e tentar ter um dia melhor.

Caleidoscópio em mãos e visualizou a cena, mas dessa vez, algo deu errado. De repente tudo ficou escuro e não se via nada. Ao afastar o caleidoscópio dos olhos, tomou um susto que o fez deixar cair de suas mãos o pergaminho. Não conseguia compreender como ele poderia estar ali, mas intuitivamente e sem pensar, abriu-o para ler.


De forma alguma podes usar o caleidoscópio para alterar algo criado pela natureza
De forma alguma podes usar o caleidoscópio para alterar a vontade de outra pessoa


Sem compreender o que aquilo pudesse significar, sentou-se. Tentava em vão entender. Levantou-se e moribundamente foi à cozinha pegar um copo de água e voltou com ele ao quarto. Em sua cama, onde havia deixado o pergaminho, estava o caleidoscópio e nem chegou a estranhar. Parecia que já havia absorvido um certo entendimento de que o pergaminho sempre sumia. Esqueceu de tentar decifrar o que aquilo pudesse significar e passou a pensar se ainda veria o pergaminho por mais vezes. Era-lhe um sinal certeiro de que algo errado estava fazendo. Pensou que não deveria saltar enquanto não tivesse essa resposta e 50 minutos depois, acabava adormecendo.

Acorda com sua mãe chamando-lhe para ir à faculdade e levantou-se naturalmente. Apenas no meio do banho lembrou-se do ocorrido na noite anterior e dessa forma, promoveu o seu desjejum mais quieto do que o normal. Já no ônibus, por mais que tentasse compreender, as frases não lhe faziam um sentido claro. Finalmente no meio de sua primeira aula havia esquecido por completo. Passou os 3 posteriores dias lembrando e ainda sem uma resposta satisfatória.

Finalmente chegou o dia de ver Luciana novamente e dessa vez ele sugeriu um cinema para que não sofresse o desconforto das amigas. O desconforto de fato era com a sua altura. Podia ser 10 cm menor pensou ele. Enquanto estavam sentados vendo o filme, não havia problema algum, mas ao se levantarem, a sensação de novo o incomodava. Não resistindo, quis brincar com ela quando chegaram no balcão da lanchonete.

— Você podia ser 10 cm menor né Lu?
— Reclame com a mãe natureza meu filho — retrucou ela.



Deu-lhe a mão, mas ficou em silêncio uns poucos segundos. O suficiente para ela perguntar-lhe o que havia ocorrido. Respondeu-lhe que nada, acreditando ter encontrado a primeira resposta do pergaminho...




Continua...

segunda-feira, 16 de agosto de 2010

Serge Gainsbourg



Ainda tirando coisas do fundo do baú e por aqui pretendo parar por hora, um clip de Gainsbourg. Dessa vez atendo para o clip. Simplesmente visionário. Reparem que os carros não se movem lá embaixo e seim a rua inteira. E o jogo de luz que forma os prédios?

domingo, 15 de agosto de 2010

Ao acaso

Experimente clicar no link acima Próximo blog >> e prepare-se para o acaso. Para uma pessoa curiosa como eu, um prato cheio. Por vezes perco alguns minutos dessa forma. Na maioria das vezes, nada chama minha atenção, mas já encontrei uns um tanto quanto fora do convencional e o que mais me espanta é o quanto eles possuem leitores, seguidores, colaboradores. Isso só ressalta a minha teoria que o mundo dos blogs junta pessoas com gostos, atitudes e pensamentos semelhantes. 

Veja alguns exemplos que eu encontrei: Zé do Caixão deve entrar nesse todo dia...


No próximo, um artista que sempre usa o Mickey como base:



Esse particularmente chamou a minha atenção pelo traço da artista que usa o blog para mostrar sua arte:



Na maioria das vezes, não sou atraído pela maioria deles, ou vejo um que me lembre alguém. É um verdadeiro Tiro (click) no escuro...

Jacques Drutonc

Ainda não onda fundo do báu e pensando sobre o velho, lembro de nomes como Serge Gainsbourg, Jacques Drutonc e Nino Ferrer. Desconhecidos da maioria de nós talvez pela distância da língua francesa para a nossa, visto que nos é muito mais assimilado canções na língua inglesa e espanhola. Sinceramente, dada a época desse trio (e outros), acredito que não seria heresia alguma dizer que se cantassem em inglês, seriam companhia fácil ao lado de Bob Dylan, Elvis, Beatles ou os  Rolling Stones.

Eu sinceramente me divirto nesse clipe vendo a cara de Dutronc querendo rir...


sábado, 14 de agosto de 2010

sexta-feira, 13 de agosto de 2010

Alphaville

Ouvi um argumento sobre um certo filme que era que, sendo velho demais, não deveria ser visto. Cada um tem seus argumentos, mas pensei em mais de uma dezena de filmes que era mais velhos ainda.




Alphaville é um filme de ficção científica onde o homem, sua sensibilidade e sua sociedade são massacrados por uma tecnologia e uma lógica desumanas, implacáveis. Os habitantes de Alphaville têm seus gestos, vozes e pensamentos automatizados, por Alpha 60. Existe muito o que pensar nesse filme e sinceramente não consigo vê-lo apenas como ficção. Obra prima de Godard datado de 1965. Na minha opinião, é um "Matrix" muito antes de Matrix e não entendam como crítica, afinal de contas, estamos todo o tempo nos reinventando no mundo da arte. Acredito que existe sim um salto absurdo na qualidade tecnológica de lá para cá, mas para um filme, não deveria ser o enredo o mais importante?






É apenas o que eu acho...

quarta-feira, 11 de agosto de 2010

She's my girl?




She's my girl
 But I'm not her guy
In her eyes I found my perfect world
Everyday I look inside my mind
Every step I follow her body
She's my girl

She is my pretty
But I'm not her handsome
In her hands I would like to have mine
many days thinking about her
many days I hope for her
She is my pretty




She is not my girl
And I'm not her guy
and this girl is just a memory now
and now I live my life
 and perhaps I'll find another passion
She is not my girl

I'll go home
and so to sleep
waiting for her in my best dreams
then I walk on my street again
And perhaps I'll find another girl
I'll go home

segunda-feira, 9 de agosto de 2010

Carta ao pai



Não refiro-me ao meu pai, embora seja motivado pela data que acabamos de passar. Na verdade essa é umas das obras de Franz Kafka. Autor nascido em Praga na Rep. Tcheca. Essa é umas das obras ao lado de O processo, O castelo, A metamorfose onde ele mais se aproximou de seu personagem ao escrever. Se impressiona a forma como ele incorpora uma barata n'A metamorfose, aqui não há o que se impressionar, visto que foi de fato uma carta redigida ao seu pai que chegou ao fim de 100 páginas. Essa carta nunca chegou a ser enviada ao seu pai, ou mesmo publicada, assim como toda sua obra que foi publicada postumamente por um dos maiores autores do século passado ao lado de nomes como Proust e Joyce.

Nessa carta, ele relata a sua relação mal sucedida com seu pai e tenho alguns amigos que perderam a convivência com seu pai, ou mesmo que também não possuem a melhor das relações e nesse caso, o "dia dos pais" não só não é feliz, como torturante para os que por essa experiência não tão bem sucedida. 



Fica então um feliz "infeliz dia dos pais" para os que assim se sentem e fica a dica de um de meus autores preferido.

domingo, 8 de agosto de 2010

Anestesiado





Já senti falta de muitas coisas
De alguns odores e algumas dores
Dolores e suas coisas

 Já quis muitas tardes
dos teus sabores, sem teus pudores
Das tuas carnes em minhas tardes

Ontem faltou luz
devaneios, sem floreios
Procuro no fim do túnel uma luz


Hoje não sinto falta nem das coisas que me fazem falta.

sábado, 7 de agosto de 2010

sexta-feira, 6 de agosto de 2010

Save Sakineh




Não costumo falar sobre o assunto do momento, mas o caso de hoje é completamente diferente.

Sakineh Mohammadi Ashtiani é uma iraniana que pode ser executada por apedrejamento, ou "apenas" enforcada sob a acusação de adultério. Um abaixo-assinado online, chamado Save Sakineh, reúne nomes como os cantores Chico Buarque, Caetano Veloso, Sting e Annie Lennox, o casal de atores Michael Douglas e Catherine Zeta Jones, a viúva do beatle John Lennon, Yoko Ono, a estilista Diane von Furstenberg e ativista iraniana Shirin Ebadi constam como signatários, mas não é possível comprovar a autenticidade das adesões.

Se de alguma forma, ainda que remotamente eu ou você consigamos ajudar através desse blog, acredito que ele terá feito realmente algo efetivo pela humanidade. Nunca fui de pedir comentários, indicações, que repassem esse blog, mas desta vez peço em nome de Sakineh. Nesse link, você pode somar os pedidos ao nosso presidente para que intervenha por esse caso. Não discute-se aqui política. Simplesmente tente ajudar alguém.

P.S.: Você pode usar os links para esta postagem abaixo, repassando para sua lista de e-mails, blog, Twitter, Facebook e Buzz.

Salvar uma vida é realmente importante. Tomara que não seja apenas o que eu acho.

quinta-feira, 5 de agosto de 2010

A vida de um manequim...

Por Jhe Pertille



Alguns são feios, outros são amputados, a maioria toma sol demais, ficam com vontade de tomar sorvete da loja da frente, ouvem conversas chatas sobre as roupas que vestem, enfim, a vida de um manequim é realmente muito dura.

quarta-feira, 4 de agosto de 2010

Vivendo da arte


Francisco Harley de Oliveira Almeida é mais um guerrilheiro cultural entre outras coisas. Assim como este que vos escreve, um artista que passeia por vários caminhos. Um de seus trabalhos mais conhecidos é de veiculação de uma  produção 100% tupiniquim. É a Rádio Acervo Novo que por sinal está de cara nova para quem já conhecia e ainda em tempo para quem não conhece: www.acervonovo.blogspot.com. Nesse trabalho, temos o bom homem trabalhando pela cultura. No entanto, contracultura, pseudônimos, alteregos e seres do tipo sempre caminham ao melhor estilo anti-herói no mundo cultural. Devo confessar (uma vez mais) que os bonzinhos demais nunca me atraíram muito. Harley passeia pelo design digital, editoração de imagens e como a maioria dos artistas brasileiros tem que se virar para de sua arte viver. 


Sempre intitulado de Harley Almeida, vulgo Harley Maquiavel. "É como se fosse um outro eu" diz de si mesmo o próprio. Ou seja, Francisco e o Oliveira sempre ficam de fora. Francisco Oliveira x Harley Almeida  e nasce o alter ego Franz Oliver:    www.franzoliver.blogspot.com. Aqui Harley apresenta um trabalho de uma lascívia mais acentuada. Para finalizar, já há bastante tempo falei que começaria uma série sobre pessoas que trabalham e vivem de arte. Uma grande amiga, musicista (Paula Karmilza) comentou que aguardava tal série. Bom, digo que estes, assim como você e eu estão correndo tanto o tempo inteiro que fica muito difícil nos reunirmos para conseguir tal feito. Ou seja, o processo vai ser lento. O próprio Harley sabe que não conseguimos fazer as coisas ao tempo  que gostaríamos. Viver de arte é para obstinados...






É apenas o que eu acho...

terça-feira, 3 de agosto de 2010

Volta para o esgoto querida




Estava barata esta putrefa carne amor
Sua decomposição e forte odor me fez salivar  
Lembrei-me de você querida e assim aguardo
Que volte o quanto antes para o esgoto

Ele está morno e nojento como você gosta
Imundo, úmido e escuro para te satisfazer
Podemos brincar de esconde-esconde e ser felizes aqui
Hoje em especial estou fétido como há muito não estava

Espero realmente que assim também esteja
Para eu me deliciar em suas pernas peludas
Vai ser o maior barato
Volta para o esgoto querida

segunda-feira, 2 de agosto de 2010

Repensando ao contrário

Eu sei de mim o que achas que sabe
Ao menos acho que sei
Posso ser frágil, mas defendo minhas idéias
Posso ser frágil?

Pelo menos defendo-me com minhas idéias
Não vendo as minhas, mas tampouco compro as suas
Não ouso ser a tua luz, a escuridão me conforta
Tua luz pode ofuscar minha débil visão

Débil debilidade
Gosto de ser frágil
Essa é a minha força
Essa é a minha verdade

Posso ser frágil?
Defendo minhas idéias posso ser frágil
Ao menos acho que sei.
O que achas que sabe? Eu sei de mim...





domingo, 1 de agosto de 2010

Caleidoscópio XV

Sentia-se mal. O velho processo parecia fazer com que recobrasse a consciência um pouco mais rápido. Era como se a sua mente se adaptasse ao salto. Mesmo assim, algumas poucas paradas após a faculdade de onde deveria ter ficado. Isso significava que uma andada extra de 20 minutos faria com que ele chegasse atrasado para a aula e resolveu comer numa lanchonete. Ainda que o processo fosse um pouco mais rápido agora, lembrou que estava se urinando quando saltou, mas não tinha vontade agora. Achou lógico. Aquela vontade não existia ali "naquele tempo" ainda. O que o fez pensar foi que ele se recordava agora que um dia havia perdido o ponto de descida e parado ali para comer. Na sua cabeça, ele havia cochilado dentro do ônibus. 

Comeu mais rápido do que a saúde pede e acelerou para a aula. O que o deixou confuso foi a consciência de que agora sim conhecia Luciana, ainda que virtualmente, mas nada estava claro em sua mente quanto a ela. Essa falta de consciência na verdade fez com que ele vivesse normalmente e tinha apenas a impressão de que algo com ela era importante. Dias normais, aulas normais, e inclusive uma quase normal sensação com Luciana. Pra ser sincero, não havia nada demais. Apenas a sensação de algo importante os ligava. 

Alguns dias sem saltos e se vivia ainda a euforia de um Brasil penta, não só sabia (ou começou a ter a sensação) de que o Brasil não ganhava 2006 e que passava ao menos a fase inicial da copa de 2010.

Os e-mails trocados com Luciana que havia conhecido numa sala de bate-papo começaram a inquietar-lhe, assim como a certeza que algumas memórias de sua cabeça se apagavam por completo quando se aproximava de tal data. Como não lembrar do aniversário de sua mãe na semana que vem, quando um tio que morava na Hungria estaria presente depois de 7 anos? Uma semana depois, principalmente ao ver seu primo bater violentamente a cabeça e precisar de gelo e a constatação de que havia um lapso em sua memória, mas enfim, resolveu marcar com Luciana de a encontrar e finalmente conhecer essa garota.

O inesperado no entanto fez-se presente. Era um sábado e foi ao museu para ver uma exposição que se encerrava naquele dia. Depois foi ver um jogo de seu time. Era ainda 28º do 2º tempo quando ela liga dizendo que estava nos bares da Vila Madalena, ou seja, perto de sua casa chamando-o para ir lá. De cara, ficou de ligar mais tarde apenas para dizer que não iria naquele momento, mas voltando para casa pensou que sempre se desmarcava por algum motivo. Era ir agora ou poderia perder a chance.

Foi o mais rápido que pode para casa e conseguiu o carro de seu pai emprestado, mas não contava com uma noite em que achou mal sucedida por alguns aspectos. De cara, parou em um mercado para comprar um refrigerante e ao voltar, o vidro do motorista estava quebrado.



Haviam tentado roubar algo, mas não havendo nada no carro, foram embora. Isso estressou-o. Ao chegar no local, Luciana estava com 2 amigas e ele sentiu-se deslocado. Achou que ela poderia ser um pouquinho mais baixa, afinal, com o salto, passava da altura dele. Fora pego de surpresa para um encontro onde chegou cansado depois de uma ida ao museu e um jogo, estressado com o vidro e sabendo que teria que resolver isso com o pai, desconfortável com as amigas de Luciana e apesar dos pesares, ficaram e ele ainda foi deixá-la em casa. Não havia sido a noite perfeita, mas enfim, estavam juntos.



Continua...