terça-feira, 1 de março de 2011

Quando o altruísmo se torna um mal

Altruísmo é um tipo de comportamento encontrado nos seres humanos e outros seres vivos, em que as ações de um indivíduo beneficiam outro trazendo algum tipo de prejuízo para o próprio segundo o Wikipedia.



Essa definição me fez enxergar de forma completamente diferente tal palavra e seu significado. O excesso de bondade para com o próximo pode ser prejudicial à quem a faz. Embora nobre em teoria, e almejado por budistas, religiosos e pessoas preocupadas com o próximo, ela ilustra um velho ditado que "bonzinho só...". O que acontece na prática é que essas pessoas convivem com outras que não possuem esse tipo de conduta. Quando de encontro com um egoísta então, eles tendem a se dar mal por muitas vezes.

O altruísmo não é exclusivo dos humanos. Esse comportamento pode ser encontrado em outros mamíferos, mas se quiserem se aprofundar sobre a questão, saibam que existe inclusive teorias e estudos entre cientistas, biólogos e filósofos não apenas tratando do altruísmo, mas o colocando de frente com o egoísmo e as discussões são sempre acirradas, mas voltemos a parte de ética, de conduta.

Na doutrina comtiana, o altruísmo pode apresentar-se em três modalidades básicas: o apego, a veneração e a bondade. Do primeiro para o último, sua intensidade diminui e, por isso mesmo, sua importância e sua nobreza aumentam. O apego refere-se ao vínculo que os iguais mantêm entre si; a veneração refere-se ao vínculo que os mais fracos têm para com os mais fortes (ou os que vieram depois têm com os que vieram antes); por fim, a bondade é o sentimento que os mais fortes têm em relação aos mais fracos (ou aos que vieram depois).

Na verdade, estou apenas colhendo argumentos para tecer uma percepção que tenho tido ao longo de minha vida. O altruísmo é algo lindo entre altruístas, mas meus companheiros que compadecem dessa benevolência para com o próximo são sempre passados para trás. Colhem um mal para si como é colocado no início do texto. Algumas pessoas causam mal aos altruístas por mera falta de percepção, ou cuidado para com eles. Outros por serem maliciosos e aproveitadores mesmo. Resumidamente, o que quero dizer é que se você é um altruísta, apenas tome cuidado ao cruzar com os egoístas.

Ser altruísta é sim ser pacífico, mas não ser paspalho. É ser sereno e isso não significa aceitar tudo o que lhe façam.


É apenas o que eu acho...

3 comentários:

  1. Sofro muito na faculdade com isso. É decepção atrás de decepção. Sou muito generosa com as amigas de classe, mas as pessoas só pensam nelas mesmas.

    ResponderExcluir
  2. Sofro muito na faculdade com isso. É decepção atrás de decepção. Sou muito generosa com as amigas de classe, mas as pessoas só pensam nelas mesmas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É D.m.p, acho que tem uma hora que percebemos que isso acaba nos afetando e está em nossas mãos a oportunidade de repensar as coisas. Não que devamos não ligar mais para o próximo, mas ao menos equilibrar essa situação. Pessoas generosas são ótimas para o mundo, mas passar do ponto é ruim para a pessoa.

      Excluir