sábado, 30 de abril de 2011

Ayrton Senna


Sabe quando uma pessoa se encontra completamente confusa sobre o que escrever? Este sou eu nesse momento. Óbvio que pelo título, sabe-se que chegarei em Ayrton Senna, mas, como se adentrasse uma pista pela primeira vez, não sei se encontrarei uma reta, uma curva suave ou fechada e se para a direita, ou para a esquerda. Apenas vou. O desenho utilizado é da autoria de Pedro Márcio.

Sobre minhas dúvidas sobre o que escrever, algumas questões passam por mim, tal como uma paisagem que está ali, mas sequer pode ser apreciada por um piloto. Poderia justificar-me com falta de tempo, trabalho demais entre outras coisas, mas na verdade, é tudo muito simples. O nome do blog (É apenas o que eu acho...) sugere que no fundo não sei muitas coisas. O que tem aqui é apenas a minha parca visão de um mundo e uma realidade que me rodeia. Na verdade, não existe verdade. Tudo é extremamente relativo. Justificar verdades e opiniões me desinteressa por completo.

Tanto na arte, quanto nos esportes, acredito que sejam injustas certas comparações como a de quem é o maior piloto de todos os tempos. Cada tempo tem a sua particularidade e mesmo para levarmos em conta dados estatísticos como os de Michael Schumacher, temos que ver o seguinte. Na época de Senna, o campeonato tinha 12 provas com pontuação máxima de 9 pontos por etapa. Hoje, temos 16 e pode-se somar 25 pontos ao final da corrida. Senna foi campeão disputando com nomes como Nelson Piquet, Alain Prost, Niki Lauda, Nigel Mansell. O maior vencedor de todos os tempos correria contra nomes muito menos expressivos, mas é sim o detentor do maior número de títulos. Mas justo ele e sua escuderia começaram a escancarar um "jogo sujo" de equipe que me fez esquecer por completo desse esporte. A gota d'água que faltava foi de Alonso na mesma equipe.

Bom. Difícil explicar para alguém com menos de 20 anos, o que essa criatura fazia conosco. Tirava-nos das camas nos dias de domingo, fosse a hora que fosse e confesso que quase da saudade do Galvão Bueno berrando Ayyyyyyyyyyyyyyyrton Senna do Brasil.

Apenas saudade desse que nos deixou a inacreditáveis 17 anos para pilotar no andar de cima.  

Um comentário:

  1. Janndir Vasconcelos20 de julho de 2012 03:24

    Lendo seu texto sobre ayrton senna, e é claro, com uma trilha sonora que tem tudo haver com ele: "Tina Turner - You Are Simply The Best." Saudades do nosso grandíssimo Ayrton!

    ResponderExcluir