quinta-feira, 27 de maio de 2010

Caleidoscópio IV

Por Demétrius Carvalho

Pensou que poderiam ter entrado pelas janelas apesar da improbabilidade do alto de seu 8º andar. Constatou o que desconfiava. Janelas intactas. Enfim, desenrolou o pergaminho:

Em suas mãos, o Caleidoscópio...

Levantou-se de um pulo com outra taquicardia imaginando que assim estava castigando demais o seu pobre músculo coronário. Havia esquecido por completo dele desde que encontrou o pergaminho e agora tinha certeza que ele teria desaparecido. Correu, mas viu o artefato junto ao casaco e pensou que o pergaminho poderia desaparcer novamente. Na dúvida resolveu que manteria junto a si o caleidoscópio e pensou que só faltava o pergaminho sumir novamente e o coração que tentava regressar aos batimentos habituais acelera novamente. Percebeu que sempre se enganava. Não só estava no mesmo canto, como estava outra fechado e de fato começava a se acostumar e nem mais estranhou. O que de fato estranhou foi que a frase da etiqueta havia mudado:

O pergaminho só desaparece na presença de outras pessoas.

Como poderia aquilo acontecer? Já havia se conformado em não possuir controle da situação, mas estar sendo vigiado era demais para a sua cabeça. Olhou para os lados e pensou em olhar as portas e janelas uma vez mais e olhou para a etiqueta novamente:

Você não está sendo vigiado.

Sentiu um calafrio percorrer sua coluna e tratou de abrir outra vez o pergaminho:

Em suas mãos, o Caleidoscópio persa datado do ano 440 d.c. Ele é único e existe para compensar os desajustes do mundo. Passou ou vai passar pelas mãos de cada habitante da terra por uma única vez e depois de teres consciência que o que precisava ser feito, foi feito, ele desaparecera por completo de sua lembrança. Use-o com sabedoria ou torna-se escravo dele, atraindo mais desajustes para a sua vida e a de quem o cerca. Se olharem para ele, verão um caleidoscópio normal, mas se olhares para ele, verás imagens nunca vividas, mas que inconscientemente gostaria de ver. Concentre-se na cena que quer e marque no calendário na parte de trás do caleidoscópio a data que quer voltar no tempo. Quando tiveres alcançado a sabedoria, vai procurar o caleidoscópio e sentirás que adquiriu a sabedoria que lhe faltava e então ele desaparecerá de sua vida sem deixar vestígios em sua mente. A humanidade terá ganho uma pessoa melhor e o caleidoscópio passa para outras mãos. O pergaminho some assim que você tirar os olhos dele.

Levantou-se sentindo faminto ainda com o pergaminho em mãos e foi na cozinha ver o que havia para comer. Deixou o pergaminho na mesa e abriu a geladeira. pegou queijo e presunto para preparar um sanduíche e ao voltar os olhos para a mesa, ela estava vazia.



Apesar de mais essa surpresa, sentiu-se sereno e sabia que não mais o veria...



Continua...

2 comentários:

  1. Então... a frase não é minha :)
    É de uma música da banda Dance of days.

    ResponderExcluir
  2. Aff! Termina não hein?! Doida pra saber o fim!

    ResponderExcluir